Durante um certo período de tempo tive a experiência de cuidar de animais numa Quinta. Como está claro na Quinta além de serem criados , os animais no momento da maturidade deles, também terão de ser abatidos e este foi o momento em que eu me identifiquei com aqueles que poderiam ser os seus pensamentos, visto por nós seres humanos.
Espero que os leitores possam entender o significado de moral e bom humor!
A vossa querida amiga
Isabel

AMIGOS LEITORES SE QUEREM PODEM VISITAR OS MEUS OUTROS BLOGS. ESPERO MUITOS!

domenica 7 maggio 2017

Lau a lebre

Eu sou Lau e pertenço à família das Leporidaie , desculpem se estou um pouco sem fôlego, mas acabei de participare ao “Tour de France” de ciclismo e assim depois deste grandissimo esforço, vim descansar aqui na 'Quinta' ao pé da minha amiga Isabel.
E vocês come é de costume fazem-me sempre as perguntas e vão querer saber: “ O que é que tem a aver esta desgrada que mata os frangos e as galinhas com o ciclismo? E como é de costume aqui estou eu como sempre a darvos as esplicaçoẽs: pois voçẽs não sabem, mas ela até é filha de um ciclista que se chamava Ladislau Parreira e que correu algumas vezes na Volta a Portugal dos 1935 atè 1945, é mesmo, dez anos de professionalidade, não è pouco, não senhor, e não vos digo uma mentira, porque há decumentação e até està aqui a fotografia! E' verdade que não era internazionalizzado e que correu sempre aqui em Portugal, mas há importança se uma pessoa corre aqui o acolà? Não é verdade que todas as estradas vão ter a Paris? É claro que naquela altura não se tinha dinheiro para fazer viagens e nem sequer tampouco para fazer cantar un cego! Mas vocês sabem como è que molhavam estes corredores? Sim, sim... com regadores, não com garrafinhas de água mineral, aqui tambem està a fotografia! Ora é claro mudaram os tempos e agora até temos os euros e por isso vai-se correr para alí, vai-se correr para acolá e vai-se por tudo aquilo que è sítio e assim eu atè vim a saber que  um ciclista italiano o Rinaldo Nocentini veio correr aqui no nosso País.
 Mas eu digo: será que ele soube que quando estava aqui ao pé do Atlantico as santolas e as lagostas custavam menos que em Italia? Esperemos que se tenha sforrado e enchido o “papo” com os nossos mariscos, ou sabe se là com um “Bacalhau à Gomes de Sà” ou un franginho no churasco?
Mas voçês sabem que eu até corri com ele no Tour de França? E' sim! É mesmo verdade! e que grande figura que eu fiz! ia a 50Km à ora! Bem, até puz a camisola amarela, mas depois de uma disputa com o público que não conseguia parar de assobiar, tive que tirá-la e dar-lhe aquele italiano que chatiçe!! Eu acho que a cor era muito bonita e até me estava muito bem, eu até já estava pronto para fazer a foto com a Copa na mão e com duas lebrezinhas bem jeitosas, mas infelizmente e de maneira nenhuma, a pude fazer!e tudo isto porquê? sò tava com 3 oras de atrazo, parei un bocadinho numa tasca para comer qualquer coisita mas pelo amor de Deus pirei-me logo, o prato do dia era 'Lebre à caçadora’ e assim fui ao vegetariano comer uma alface! E' claro que quando voltei para correr ele jà estava a minha frente e assim meteu ele a camisola amarela, uma raiva e nem  a despiu por bem oito dias ...EGOISTA!!! Ora eu é dá uns tempos que me pergunto, porque é que será que me puseram naquele “Tour” a camisola da “Lanterna vermelha”? Bom, é melhor que eu vá pesquisare no “Net”, pois não é? Vejam là que eu até queria fazer uma surpresa à minha amiga da “ Quinta” a Isabel que gosta muito do amarelo, ela até tem em casa um aquário com os peixinhos da mesma cor!
Eu soube que infelizmente o Rinaldo ele ficou ferido no G.P. da Insubria(4), mas vocês sabem, às vezes um de nós cai e quebra um osso e por isso agora lá está em casa com a “patinha” partida... oh rapaz, lembrate da “calciparina” para evitar os problemas dos coágulos de sangue quando há ingessaduras! Olha que tambem as levou o Tino o pombo da quinta quando caiu da àrvore e quebrou os ossos!  Eu atè vim a saber que a minha amiga foi lá a Italia casa dele fazer-lhe uma visitinha porque esta coisa fez-lhe lembrar o paizinho dela que de quedas levou bastantes e de vez em quando ia parar ao hospital. Enfim, coisas da vida.
 Embora eu seja um pouquinho ciumento deste corredor italiano, eu cheguei a uma comclusão … enquanto ele estiver em casa eu posso sempre tentar de meter a camisola amarela, pois não é?
Ora eu agora é da uns tempos que tou desejando de correr com um russo o porquệ? ele é russo. E voçês dirão então o que é que isso tem haver? O que tem a haver? Muito!... pois voçês não sabem, mas quando eu adormeço russo muitissimo que até nem dou por nada!E' claro que se este quando corre se  russa quer dizer che dorme, pois não é? assim  nem sequer se vai aperceber quando eu lhe passo à frente, será desta vez que finalmente eu vou vestir a camisola amarela!!!
Por emquanto vou fazer uns treinos aqui na "Quinta" porque meti na cabeça de tirar o título da Copa do mundo ao Cadel Evans que é que vocês acham? Eu vou-lhe fazer ver se as lebres ciclistas portuguesas não são mais velozes dos cangurus ciclistas australianos!!! 














Vá ... agora deixem-me ir dormir un bocadinho porque me  CANSEI MUITO escrevendo esta COMPRIDA e complicada história...
.dedicada ao meu pai o ciclista Ladislau Parreira 

Nessun commento:

Posta un commento